Atividades para bebês e crianças bem pequenas. 1 a 2 anos.

Sugestões de atividades para crianças de um a dois anos.

Primeiramente quero lembrar que todas as atividades deste texto podem ser feitas tanto na escola, no retorno das aulas, como agora serem sugeridas para as famílias brincarem em casa.

Todas as atividades e brincadeiras que vou sugerir são super simples, principalmente, porque são feitas com coisas que as crianças e suas famílias tenham em casa.

Só que, às vezes, algumas coisas são óbvias para nós, porque nós somos especialistas da área, nós somos profissionais, mas a família não sabe.

 Não pensem que vocês vão levar alguma coisa muito óbvia, ou muito boba, façam de tudo, façam o simples. Menos é mais.

Eu não estou trazendo coisas absurdamente extraordinárias, eu tenho certeza que muitas dessas coisas vocês já fazem, ou fizeram alguma vez.

A idéia é só tentarmos trazer para o ambiente de casa, relembrar algumas coisas que podemos ter feito no passado, e no momento não está vindo a mente.

E fazendo uma atividade acabamos imaginando outras possibilidades de atividades.

A criança é a mesma coisa. Você vai fazer atividade com ela, ela vai reagir de um jeito, na semana seguinte, se fizermos a mesma atividade, ela já vai reagir de outra maneira, vai aprender outras coisas.

Ela cria, ela viaja, precisamos dar esse tempo para a criança durante a atividade. Não é necessário estar todo momento falando, se notarmos que a criança está concentrada deixe ela quieta, se ela despertar para você demonstre que está ali, aí você interage. 

Então vamos às sugestões!!!

Rasgar papel

Pode utilizar jornal velho, revista velha, aquele panfleto que recebeu no farol, o que a família tiver, e vamos brincar com a criança de rasgar papel.

O papel está lá, por exemplo, em cima da mesa, a criança tem que olhar o papel, ela tem que pegar o papel com uma mão, com a outra mão, ela precisa fazer movimento de pinça e tem que fazer uma força contrária para poder rasgar o papel. E tudo isso é aprendizado.

Parece bobo, mas é fundamental para o trabalho de coordenação, trabalho de força manual, de movimentos de pinça.

Durante o transcurso da brincadeira podemos ir incentivando a criança, pois no começo eles vão pegar o papel com a mão inteira, e tentar rasgar com movimentos que tornarão a tarefa mais difícil, devemos deixá-los tentar, e depois, no final, mostre a maneira mais fácil de rasgar.

Para quem está fazendo vídeos explique para a família, os benefícios dessa atividade, que eles devem respeitar o tempo da criança, deixá-la fazer no tempo dela, depois você incrementa como quiser.

E se tiver alguma família que seja mais difícil, que reclame que não tenham papel, não tem problema, a atividade pode ser feita com guardanapo, papel higiênico, pode ser papel toalha, o que tiver disponível.

Buscando objetos

Outra atividade muito simples, e que qualquer família pode fazer é brincar de encontrar objetos da casa.

Como as crianças estão nessa fase, entre um e dois anos, em que eles estão aprendendo muitas palavras novas, estão aumentando o vocabulário, eles já sabem muito mais coisas do que falam.

 Nessa fase as crianças conhecem os objetos.

Eles sabem, por exemplo, o que é uma colher, o que é um carrinho, o que é uma caneca, o que é uma boneca, eles sabem o que é, e são capazes de identificá-los. Mas eles ainda não verbalizam, ou estão aprendendo a falar.

Então podemos orientar, sugerir, para que as famílias façam em casa a atividade de procurar objetos.

E como podemos fazer?

Ou a família deixa os objetos no lugar onde eles sempre ocupam na casa, e aí a criança vai pegar, ou a família esconde os objetos, ou ainda podem espalhar no chão alguns objetos, e ir pedindo para a criança pegar.

Que tipo de objeto? Objetos simples.

Podemos pegar um objeto similar, ou igual, ao que queremos que a criança procure, e pedir que ela encontre outro.

Tome cuidado para colocar os objetos em lugares ao alcance da criança.

Lembre-se de orientar a família de repetir o nome dos objetos. Aí a criança vai aumentando o vocabulário, reconhecendo as coisas pelo nome.

Nessa atividade não é preciso sugerir para a família os objetos, deixem que eles escolham coisas que a criança tenha mais contato.

Precisa mostrar o objeto antes? Isso vai depender de cada criança. Quando ela não conhece os objetos ainda, e não identifica, podemos conversar com ela antes, e falar dos objetos. Mas o ideal é que façamos a brincadeira com coisas que a criança saiba o que são.

E nessa fase, entre um e dois anos, eles já conhecem vários objetos. Alguns não falam, mas eles conhecem muitas coisas.

Então trabalhe com objetos que eles conheçam, e estimule agora que eles falem.

Eles já conhecem, já localizaram, e agora eles vão tentar falar, vão começar a tentar verbalizar o nome dos objetos.

Coloque a criança em cima dos seus pés

Essa atividade, se você tem filho em casa, já deve ter feito.

Sabe quando você fica em pé, coloca a criança pisando em cima do seu pé, e você segura nas mãozinhas dela, e anda com ela em cima do seu pé?

E muito legal essa brincadeira.

E trabalhamos equilíbrio, coordenação motora quando a pessoa que está fazendo a atividade mexe o pé ao mesmo tempo em que a criança, estimula a interação com a família, podemos ensinar direções para a criança mostrando o que é a direta e esquerda, ou frente e trás, estimular a noção espacial.

Colar de macarrão

Macarrão mais grossinho, com furo, que podemos passar dentro de algum fio, pode ser lã, um barbante, linha, fitilho, o que tiver. E aí a criança vai colocando o macarrão dentro do fio até formar um colar.

Depois a família pode dar um nozinho, pode colocar o colar no pescoço, pode fazer uma pulseira.

Podemos pintar o macarrão se quisermos fazer algo colorido.

A criança vai trabalhar a coordenação motora ao fazer o movimento de colocar o macarrão dentro do fio. E depois ela pode brincar com o colar.

É claro que sabemos, e é importante lembrar para a família, que é importante tomar cuidado, às vezes a criança tem irmão, e um pode puxar o colar do pescoço do outro, e causar um enforcamento, por isso é importante brincar com supervisão, e após guardar os materiais.

Eles são pequenos e não sabem ainda lidar com esse tipo de materiais sozinhos.

Se não tiver o macarrão em si, é possível pegar tampinhas de garrafa, e um adulto faz furos nas tampinhas. Ou ainda cortar tiras de rolos de papelão, e colocar em um fio como se fosse o macarrão.

Brincando com bolinhas de algodão

Outra atividade simples é pegar bolinhas de algodão, podem ser coloridas ou brancas, que normalmente todo mundo tem em casa, e brincar de desfiá-las.

Como estamos falando de uma idade muito distante, crianças de um a dois anos, quem tem um ano ainda está muito diferente de quem tem 2, podemos ir aumentando o nível de dificuldade.

Começar só desfiando, falar para a criança fazer bolinhas. Esse trabalho manual estimula a coordenação dos movimentos da mão, e a coordenação óculo-manual.

Dependendo da criança, já com dois anos, ou um pouquinho mais, podemos contar as bolinhas depois com a criança.

Mas o algodão é perigoso, eles colocam no nariz e na boca?! Sim, eles colocam.

Por isso a atividade é para ser feita com a família

Não é para eles fazerem sozinhos.

Terminada a atividade recolhemos o algodão.

Quem tiver em casa o algodão colorido pode trabalhar as cores com a criança.

Eles sabem cor nessa idade? Provavelmente não. O que eles estão começando a fazer nessa idade é o pareamento, mas nada impede de falarmos e mostrarmos para eles irem se familiarizando com as cores.

Se a criança morar em um lugar quente, ou for um dia quente, pode-se molhar o algodão na água, e apertar em outro recipiente para passar a água de um para outro.

Se não tiver algodão podemos usar guardanapo. Não será exatamente igual, pois não vai desfiar, mas é uma possibilidade. Se a família tiver cotonete pode tirar a parte branca, o algodãozinho da ponta, e juntar para a criança desfiar.

É hora de brincar de túnel

Sabem essa coisa de cabaninha que criança adora? Colocar lençol para fazer cabaninha é legal também.

Mas eu estou falando dos túneis, onde a criança precisa passar por baixo de algo.

O que pode ser túnel em casa? Um criado mudo, cama, mesa, cadeira, tudo que der para a criança passar por baixo. Passar agachado, rastejando, engatinhando, da forma que der.

Às vezes não dá para a família passar junto porque é muito baixo, mas a criança vai se arrastando e passa.

A família pode ir brincando por toda a casa de túnel, ir procurando móveis com a criança onde seja possível ela passar por baixo.

Para incrementar, e para quem tiver poucas opções que dê para passar por baixo, dá para fazermos um túnel com uma pessoa em pé. O adulto fica em pé, afasta as pernas, e a criança passa por baixo.

Dependendo da participação e da interação da família com a criança na atividade, existe a possibilidade de brincar 15 minutos, meia hora, só de ficar passando por baixo das coisas em casa.

Essa atividade é super importante.

Eles vão trabalhar a questão do engatinhar, alguns já estão andando, mas é bacana que eles brinquem de engatinhar. Eles trabalham o fortalecimento de membros superiores, noção espacial, eles vêem o mundo por outro ângulo, eles levantam bem o pescoço, facilita na fala, entre outros objetivos que acaba explorando.

Aprendendo a pinçar objetos

Essa atividade pode ser feita com algo que normalmente todo mundo tem em casa: pegador de macarrão.

Pode ser pegador de macarrão, de salada, o que tiver em casa, podem ser pequenos mesmo, e brincar com a criança de pinçar objetos.

Os objetos legais para pinçar podem ser tampa de garrafa, dá para fazer com algodão, macarrão, qualquer coisa que a família tenha em casa. 

Coloca no chão, ou em uma mesa, mas no chão é melhor, e a criança vai pegando e colocando em algum outro lugar, num pote, em algum recipiente.

A criança vai fazer o movimento de apertar, de força manual.

É importante avisar para as famílias oferecerem para as crianças pegarem o pegador com as duas mãos, é benéfico para a criança experimentar todas as possibilidades.

Jogando boliche em família

Essa atividade podemos construir com rolinhos de papelão, do papel higiênico ou papel toalha.

Pegue o rolo de papelão e ofereça para a criança pintar. Uma sugestão é pedir para fazer o desenho de cada pessoa da família, ou que more na casa.

Esses rolinhos de papelão vão ser os pinos de boliche, a família pode montar com quantos “pinos” quiser, pegue a bolinha que tiver em casa. Se não tiver bolinha podemos pegar os papeis rasgados da atividade anterior, e fazer uma bolinha. Monte os rolinhos no chão e vamos jogar com a bolinha, e derrubar os pinos.

Para as crianças menorzinhas, muito provavelmente, a maioria não tem força suficiente, e nem coordenação motora, para acertar direto no pino. Não tem problema, deixe a criança jogar bastante, eles vão jogar de pertinho, vão querer empurrar os pinos com a bolinha na mão, deixe eles brincarem como quiserem.

É uma brincadeira para a criança construir o brinquedo dela, depois brincar com a família, trabalhar coordenação motora, noção espacial, lateralidade, dentre outras coisas.

Se a criança for pequena, não souber desenhar, ou não quiser, pode brincar só com o rolinho mesmo.

Tartaruga de papelão

Para fazer essa atividade pegue um pedaço de papelão, desenhe uma tartaruga a mão mesmo, recorte e pinte com tinta verde, para as carinhas use canetinha ou olhos móveis e no casco tiras de rolinho de papel higiênico.

Feita a tartaruga, uma das coisas que podemos fazer é pegar arroz, milho, feijão, o que a família tiver em casa, colocar em um potinho, pegar uma colher, e dar para a criança encher o casco da tartaruga.

As crianças ficam um tempão tentando colocar, acertando a mão, e trabalhando esse movimento. Além disso, elas também trabalham a atenção e a coordenação motora.

Se a criança não tiver conseguindo manusear a colher, pode ser com o dedinho.

Nesse caso evite o arroz. É melhor pegar coisas maiores como milho e feijão. Com o dedinho, a criança vai pegando, e vai colocando nos buraquinhos do casco.

E construir a tartaruga já é uma atividade.

Podemos fazer uma atividade de arte, que já é a construção da tartaruga, e depois, outro dia, utilizar a tartaruga para fazer essa atividade de coordenação e atenção.

Desafios motores

E por último, mas muito importante: faça muitas atividades de desafios motores.

O que é desafio motor? Colocar a criança para rolar para frente, rolar para trás, ficar de ponta cabeça, plantar bananeira, pular da cama para o chão, do sofá para um colchão, correr de um ponto ao outro, enfim, todas as possibilidades dentro da casa que eu chamo de desafios motores. Permita também que a criança crie e descubra novas possibilidades.

Deixe seu comentário aqui embaixo.

Beijo

Vivian Mazzeo

26 comentários em “Atividades para bebês e crianças bem pequenas. 1 a 2 anos.”

    • Tem outro post aqui no Blog para essa faixa etária.
      Lá no meu instagram @vivianmazzeo_bebeativo também tem muitas sugestões.

      Responder

Deixe um comentário