Atividades sugeridas para a família e BNCC. Como alinhar?

Como fazer para alinhar todo o nosso trabalho e interação com as crianças com a BNCC, não só na escola, como já fazemos no dia a dia, mas nesse momento de distanciamento social em que estamos enviando as sugestões para a família.

BNCC = Base Nacional Comum Curricular

Como vamos alinhar as nossas atividades, as nossas brincadeiras, as nossas aulas, as nossas sugestões com a BNCC?

“Ah Vivian, mas está tudo diferente, nós estamos no meio da pandemia, está tudo meio atrapalhado, a escola está fechada, e mesmo assim eu tenho que alinhar as minhas atividades com a BNCC?”

É importante!

Claro, estamos no meio da pandemia sim, a maioria das escolas estão fechadas, nós estamos enviando sugestões, estamos fazendo tudo que podemos para ajudar as famílias dentro do possível, então é importante sim manter o nosso foco na educação, lembrar da BNCC, trabalhar os direitos de aprendizagem da criança, trabalhar os campos de experiência, e tudo mais, sempre dentro das possibilidades do momento.

Não é tudo que dá para sugerirmos para casa, não é tudo que fazemos na escola que é adequado para esse momento, mas muita coisa dá, e é possível sempre alinharmos com a BNCC.

Informe as famílias sobre a existência da BNCC!

E quando eu falo da BNCC, quando eu falo algumas coisas mais teóricas, para o que serve uma atividade, porque é importante a criança fazer uma brincadeira, se essa atividade está ou não de acordo com a BNCC, tudo isso conforme vocês puderem vão informando as famílias.

Por quê?

Pense comigo, a família escuta assim na televisão “desde 2018 nós temos a base nacional comum curricular para dar a mesma oportunidade á todas as crianças do país”, a pessoa pensa “nossa será que na escola do meu filho tem, não estou sabendo disso. O que será isso?”. Os pais tomam aquele susto.

E aí, claro, se eles forem perguntar para nós, vamos explicar que já fazemos.  Mas é mais bacana se, quando os pais ouvirem uma notícia dessas na televisão, ou quando eles conversarem com um amigo, eles já estarem informados.

É aquilo que eu sempre falo para vocês não basta nós estarmos fazendo um trabalho maravilhoso e de qualidade, estarmos dando nosso melhor. Nós precisamos deixar claro para os pais, para a família, que isso está acontecendo.

Em algum momento, quando vocês fizerem vídeo, ou quando enviarem algum material para a família comente com eles que as atividades estão de acordo com a BNCC, que é a base nacional comum curricular.

Não precisa dar uma aula para a família porque eles não vão trabalhar com educação, mas aos poucos introduza algumas informações.

Olha… Essa atividade trabalha coordenação motora, essa atividade trabalha lateralidade. Para eles perceberem que não é algo solto, ou porque você estava com aquele humor naquele dia e escolheu aquela atividade, não. Tem uma razão de ser.

É importante nós sempre contextualizarmos isso com a família.

Entenda que a BNCC não veio para modificar!

Para começarmos a deixar nossas atividades de acordo com a BNCC temos que ter em mente algo que sempre falo: A BNCC não veio para modificar nada. Ela veio para alinhar esse trabalho entre todos os profissionais da educação, e para trazer uma igualdade na educação do nosso país.

Se você já trabalhava, como aqui no Bebê Ativo eu já fazia posts e atividades, e tudo que eu fazia já era de acordo com a BNCC, era um pensamento que eu já tinha antes de existir esse documento. E muitos professores também já tinham esse pensamento antes de ter esse documento.

O importante é que agora precisamos analisar as nossas atividades. Você não precisa mudar suas atividades, mas pegue as atividades que você faz e vai relacionando com a BNCC.

Então como vamos fazer isso?

O primeiro ponto é: lembrar dos seus alunos!

Vamos supor que você viu no Facebook que postamos uma atividade da tartaruguinha, de colocar o milho no casco da tartaruga, que é uma atividade que eu já publiquei.

Você viu essa atividade, achou legal e decidiu fazer com seus alunos. A primeira coisa que você vai fazer quando olha para uma atividade é ter os seus alunos em mente, saber quem são seus alunos.

Lógico que está tudo muito diferente e faz meses que não vemos as crianças, mas elas cresceram, mudaram muito. Imagina uma criança que estava entrando no berçário com 4 ou 5 meses, agora já está quase fazendo um ano, então eles mudaram bastante, mas além de conhecer o nosso aluno, sabemos o que desenvolver em cada fase.

Aqui no Blog você encontra as fases do desenvolvimento motor para crianças de 0 a 1 ano e para crianças de 1 a 2 anos.

Os meus alunos estão agora com 8 meses, ou com 10 meses, um ano, dois anos, esse é o primeiro ponto. Você visualizar os seus alunos e a idade deles.

Cada criança se desenvolve no seu tempo, no seu ritmo, mas seguimos também uma base com relação à idade.

Segundo ponto: Pense no que seus alunos precisam!

Se eu tenho, por exemplo, bebês de 6 meses eu sei que eles não farão atividades de andar, de correr. Então, o que eles precisam?

 Eles precisam conhecer o próprio corpo, segurar brinquedos, manusear instrumentos, manusear materiais para trabalhar a coordenação motora, uma série de coisas.

Se a criança tem 2 anos, por exemplo, ela já está correndo, já está saltando, o que eu posso fazer mais com essa criança?

Quando estou com uma turma logo no início eu já tenho que pensar tudo que eu preciso desenvolver com a minha turma naquele ano, pensar todas as necessidades dos meus alunos.

Depois de tudo isso, nesse momento que estamos vivendo de pandemia, vamos pensar se aquela atividade é possível para fazer em casa

Para fazer essa atividade vai precisar de algum objeto, de algum material, que a família vai ter em casa?

Isso também é muito individual de cada professor, vai variar de região estado, escola particular, escola pública, escola municipal, tem muitos caminhos a serem analisados.

Mas cada professor conhece a sua escola, conhece seus alunos, e a sua realidade, e sabe o que é possível ou não.

Analisando a BNCC!

Então eu já lembrei quem são meus alunos, pensei na idade deles, no que eles precisam nessa idade, depois eu pensei no que é possível para o momento que estamos vivenciando, de isolamento social, e após tudo isso, eu vou pensar na BNCC.

Cheguei na BNCC, peguei a atividade que eu quero fazer, então vamos analisar.

Vamos continuar com o exemplo da atividade da tartaruguinha para enchermos o casco dela.

Nessa atividade a criança vai pegar uma colher, ou mão, e vai encher os casco da tartaruga com o material, bolinha de papel, grão de arroz, etc., quando ela estiver fazendo isso o que a criança vai trabalhar, o que ela estará desenvolvendo fazendo essa atividade?

Se existe um lugarzinho pequeno e a criança vai ter que colocar coisas lá dentro, eu já estou trabalhando a coordenação motora. Se eu der grão de feijão para a criança colocar, e ela pegar com a mão, eu estou trabalhando movimento de pinça, se eu incentivar a criança a fazer com uma mão e depois com a outra, com colher e depois com a mão eu estou trabalhando lateralidade.

Tudo depende de como eu, professor, vou incentivar meus alunos a brincarem, como eu vou sugerir a brincadeira após eles terem explorado o material.

E como nós não estamos efetivamente conduzindo as atividades, não estamos efetivamente sugerindo para eles, quem está fazendo isso é a família, nós estamos como terceiro, passamos para a família e eles passam para a criança, nós precisamos explicar isso para a família.

Precisamos mostrar isso para eles. Explicar mesmo.

“Olha essa é a atividade da tartaruga, a criança vai colocar, o milho, o arroz, no casco da tartaruga.”

“Deixe a criança brincar do jeito dela, deixe ela pegar do jeito que ela quiser, deixe ela se divertir, descobrir, explorar, deixe ela buscar da maneira dela, não fale nada, ofereça o brinquedo, ofereça a oportunidade e deixa lá, depois que a criança já fez da maneira dela, aí sim nós podemos sugerir possibilidades, incentivar a colocar com um mão, com a outra, colocar com a colher, etc.”.

Necessitamos contar isso para a família, senão eles vão falar qualquer coisa, eles não vão ter esse tato.

A criança está lá brincando da maneira dela, depois ela começou a brincar com as sugestões que a família deu, baseado naquilo que você passou, legal. Tudo isso vai interferir no objetivo da brincadeira.

Se você falar para a família que é para preencher o casco da tartaruga com a colher não vai trabalhar movimento de pinça, então já tira esse objetivo.

Se você lembrar de falar para pegar com a mão, e depois com a colher, eu vou trabalhar também com movimento de pinça, porque a criança vai pegar lá os grãozinhos para colocar no casco.

Quando nós professores vemos uma atividade, e muitas vezes quando eu posto sugestões de atividades vocês me perguntam “qual é o objetivo dessa atividade”?  Sempre depende de como você vai falar para a família brincar, ou como você vai brincar com a criança.

Não é possível definir os objetivos da atividade apenas olhando para ela e muito menos todos os professores usarem os mesmos objetivos para a atividade em diferentes contextos.

Vamos pensar que eu sugeri para a família, pegar com a mão os grãozinhos, depois pegar com a colher, depois trocar de um casco para o outro, fazer com uma mão, depois com a outra, supondo que eu sugeri todas essas possibilidades.

Agora eu vou pegar a minha BNCC, e começar a analisar de acordo com a idade da criança, dentro do que eu planejei e do que eu percebi que é legal para as minhas crianças.

Verei quais objetivos se encaixam lendo a BNCC eu vou inclusive ter novas ideias, perceber mais coisas, apreender outras coisas, lembrar de outras possibilidades, porque a BNCC também traz algumas sugestões muito bacanas.

Por exemplo, eu tenho os alunos de zero a um ano, vai ser mais difícil para eles trabalharem com a colher, então eu posso sugerir só com a mão mesmo, e será um objetivo.  Mas se os meus alunos estão no grupo das crianças bem pequenas eu vou sugerir tanto com a mão, como com a colher, já é outro objeto.

Chegando à BNCC eu vou procurar “utilizar os movimentos de preensão, encaixe e lançamento ampliando suas possibilidades de manuseio de diferentes materiais e objetos”, confere? Confere!

Então esse é um objetivo que eu posso utilizar: corpo, gesto e movimento é o objetivo 5 no grupo dos bebês.

No grupo das crianças bem pequenas, eu tenho no objetivo 5: desenvolver progressivamente as habilidades manuais adquirindo controle para pintar, desenhar, rasgar folhear, entre outros. Então eles também estão trabalhando essas habilidades manuais, de pegar, de segurar, controle da força.

Nós professores precisamos olhar para uma atividade e já sacar o que aquilo desenvolve na criança. Isso é estudo e treino.

“Vivian eu olho para uma atividade, e eu não consigo identificar o objetivo dela.” Tudo bem, mas você precisa aprender. Você precisa saber, faz parte do seu trabalho.

Precisamos olhar para uma atividade e saber o que ela faz, quais são os objetivos dela.

Olhar para uma atividade e falar legal, essa atividade trabalha lateralidade, ou essa atividade ajuda a desenvolver oralidade, essa outra estimula a criança a falar, coordenação motora, concentração. Enfim, o que quer que seja que a atividade desenvolva nós precisamos olhar para ela e conseguir  identificar.

Se você não sabe isso ainda você precisa ir treinando, olhando para a atividade pensando, fazer a atividade para testar e observar o que você estaria aprendendo se fosse a criança.

Depois que você definiu quais são os objetivos, com a BNCC em mãos, vai adequando e unindo todas as informações.

Sugira para a família que a criança ajude nas atividades de casa, do dia a dia!

É possível sugerirmos muitas coisas para as crianças nesse momento com as atividades de casa.

De jogar uma roupa no cesto, de arrumar uma cama, de ajudar a família, cortar uma banana, descascar um ovo cozido. Dependendo da idade das crianças.

Para as crianças acima de um ano, um ano e meio, tem muitas coisas que podemos sugerir para a família colocar a criança. Ajudar a recolher o lixo, por exemplo, algumas coisas simples que a criança pode ajudar, e que trabalhe coordenação motora, que explore lateralidade, que desenvolva organização espacial, etc.

Às vezes a família reclama que não tem tempo, que não está conseguindo fazer as atividades, coloca os seus objetivos também nessas atividades de casa.

 Fala para criança colocar as roupas sujas no cesto, por exemplo, a criança pode jogar a roupa de longe, se for uma criança maior, de dois ou três anos, ela pode arremessar e fazer uma atividade de lançamento.

Essas atividades do dia a dia também são muito importantes, principalmente nesse momento que estamos vivenciando.

Se a família não está conseguindo parar a rotina par incluir novas atividades podemos sugerir muitos objetivos com coisas do dia a dia.

E é ótimo para a autonomia da criança.

São coisas óbvias, mas que não são feitas. São óbvias para quem tem o olhar do educador.

Lembram que eu falo para vocês que nós temos dois olhos, um para cuidar, e outro para educar. Nós estamos o tempo todo vendo como a criança poderia aprender algo a mais em todas as situações. A família não vê tudo isso que o professor observa.

E como ficam os seis direitos de aprendizagem em tempos de pandemia?

Dentro da BNCC, nós temos os direitos de aprendizagem, que são seis: conviver, brincar, participar, explorar, expressar e conhecer-se.

Veja, o único que praticamente não podemos trabalhar agora é o conviver, porque as crianças não estão convivendo com outras pessoas, só com a família na mesma casa.

Mas dá para a criança brincar? Muito.

Dá para a criança participar? Muito. Essas atividades do dia a dia são participar.

Sobre o explorar, explorar os espaços, explorar os materiais da maneira dela, é algo que tranquilamente podemos trabalhar nesse momento.

E sobre o expressar, é possível trabalhar?  Com certeza.  

Inclusive com as crianças que já falam podemos até pedir para a família sugerir que eles gravem algum vídeo e mandem para a professora. Ou que as professoras façam videochamadas individuais, pode ser de um minutinho, com a criança para ela contar como está. Isso faz uma diferença muito grande, não só para a criança, mas para a família, e para nós professores também.

E por último o conhecer-se, que é o sexto direito de aprendizagem, só de a família estar convivendo com aquela criança, conhecendo mais aquela criança, também está dando a oportunidade da própria criança se conhecer.

Sei que esse texto ficou com muita informação. Sugiro que leia mais de uma vez para absorver tudo e caso tenha alguma dúvida…

Ficarei muito feliz em responder seu comentário abaixo.

Beijo

Vivian Mazzeo

5 comentários em “Atividades sugeridas para a família e BNCC. Como alinhar?”

  1. Bom dia, sou Professora e este ano assumi minha primeira sala de aula, estou com uma turminha de maternal II, e estou com muita dificuldade em alinhar atividades com a bncc, acho que ainda não consegui ter esse olhar. As vezes me pergunto , porque estou dando esta atividade? E não consigo achar a razão ! Estou a ponto de desistir. 4 anos estudados e não consigo lembrar os objetivos de que precisamos para fazermos um aprendizado significativo. Tô com meu coração partido. Entre choros , papéis ,bncc e interrogações.

    Responder
    • Olá Erika! Se você não sabe é porque ninguém ensinou, mas você pode aprender… Inclusive no curso “ATIVIDADES E BNCC NA PRÁTICA – 0 a 3 anos”.
      SE você quiser conhecer mais sobre o curso eu preparei uma página com todos os detalhes e informações, inclusive Conteúdo Programático, Bônus, Valor de investimento, Garantia, Certificado…
      Vou colocar o link aqui para você:
      https://www.atividadesebncc.bebeativo.com.br

      Responder
  2. Ola, Viviane. Bom dia!

    Meu nome é David. Sou pai de um menino; ele está com 1 ano e meio. A mãe dele trabalha o dia inteiro (tem apenas uma hora de almoço).
    Diante disso, fico com ele todas as manhãs pq tenho flexibilidade no meu horário de trabalho.
    Com essa oportunidade, que é a de ficar com ele pela manha, tenho despertado pra desenvolver atividades com ele. E foi pensando sobre essa necessidade urgente que fui em busca de alguma orientação e me deparei com sua plataforma, com seus artigos. Suas postagens são enriquecedoras!

    e como saber mais não se constitui um erro. Pelo contrario, é sempre importante. Então, quero saber mais sobre esse assunto, que é o de planejar o processo de aprendizagem de meu pequenino. Ele precisa de mim!

    Responder
  3. Vivian, muito obrigada!
    Esse texto foi muito esclarecedor, já estou pensando aqui em algumas ideias para os vídeos da próxima semana.
    Gratidão!

    Responder

Deixe um comentário