Como estabelecer combinados? Educação Infantil

Como fazer os combinados no berçário e na creche com as crianças?

Se você é professora ou auxiliar de uma turma de B1, B2 ou até maiores de 2, 3, 4, e 5 anos, e quer saber como fazer para se organizar e fazer os combinados com as crianças, fique comigo até o final.

 Sabemos que algumas coisas que acontecem no dia a dia e não são legais, que estão dando errado, ou não estão saindo como gostaríamos, muitas vezes ocorrem por falta dos combinados.

E quando eu falo dos combinados, e alguns podem usar outras palavras, me refiro a forma de comunicação com a criança para que fique claro para ela aquilo que você quer que ela faça, ou aquilo que você está ensinando como sendo coisas legais.

Existem muitas coisas que as crianças fazem na escola que não são por desobediência, ou porque a criança é hiperativa, não é por ela ser mal-educada, não é nada disso, é simplesmente porque a criança não sabe o que é para ela fazer. E isso serve não só para a escola, como em casa também. Isso serve até para os adultos, mas nosso foco aqui são as crianças.

Se você tem criança pequena em casa, se você é mãe, é avó, é tia, enfim, se você tem contato não só no trabalho, mas em casa isso vai servir para você também.

Cuidado: Nada é obvio quando se trata de crianças!

Às vezes um combinado não é nada muito elaborado, ou uma estratégia inovadora, pode ser uma coisinha que falamos para alguém que cause impacto, e a pessoa diga “nossa, é isso”. Com criança pequena detalhes fazem muita diferença. Podemos pensar que temos que ter uma estratégia, um planejamento, mas na realidade é só falarmos uma palavrinha, ou termos uma atitude diferente, e já mudamos muita coisa.

Para conseguirmos que a criança faça o que queremos, ou que ela aprenda o que é correto fazer, por exemplo, o motivo pelo qual ela não deve bater em outra, não deve bater pois não é algo legal, não é aceito na sociedade, machuca o outro, você está invadindo o corpo e o espaço do outro, então por isso a criança não deve bater. Para nós é muito obvio, muito claro, porém para a criança não. Eles estão aprendendo tudo. Nada podemos tratar como obvio, ou como claro.

Refletindo sobre exemplos práticos:

Outra questão bastante comum é quando pegamos as crianças de uma sala, de qualquer idade,  e sugerimos alguma atividade, podendo ser algo como ir brincar no parquinho, sem combinarmos nada primeiro, fazemos uma fila, ou vamos de qualquer jeito, ao chegarmos lá automaticamente qual será a atitude das crianças? Eles vão sair correndo, cada um irá para um brinquedo, você perderá o controle, nessa de sair correndo um já tropeça no outro, dois acabam caindo no chão, gerando toda uma confusão.

E por qual motivo isso acontece? Elas são mal-educadas, não sabem esperar, etc? Não! Isso acontece porque não foi falado o que ela deveria fazer. Se não foi falado o que era para ela fazer a criança fará as coisas da sua maneira.

Vamos supor que a coordenadora da sua escola coloque na sua sala um pote de tinta, e fale “olha professora agora recebemos tinta na escola, tem tinta para você usar na sua sala”, você fala”nossa, tinta, legal vou usar com as crianças”. Uma pessoa vai usar para fazer impressão de mão e pé, outra pode brincar de pintura no azulejo, outra poderá fazer um desenho coletivo, etc, aí a coordenadora entra na sua sala e fala “mas essa tinta não era para fazer isso, era para fazer tal coisa”. Poxa! Se ela não falou antes como você iria adivinhar, não é mesmo?!

Com a criança é exatamente assim.

Coloque-se no lugar da criança!

Na maioria das vezes o que falta para nós, adultos, é se colocar no lugar da criança. Se a criança esta sem instrução, e não sabe o que é para fazer, em quase todas as ocasiões vai acabar fazendo o que ela acha que é melhor, o que consegue entender, ou o que quer.

Isso não é culpa da criança, ela não é mal-educada, ou não sabe esperar. Na realidade é algo que tem a ver conosco, nós professoras. Nós não fornecemos a informação, não deixamos claro nosso objetivo, nós não fizemos a nossa parte.

Parece algo bobo, mas na maioria das situações acontece isso. A criança faz alguma coisa que o professor não quer justamente porque ele não avisou antecipadamente o que queria.

Estabelecendo combinados, passos necessários:

O primeiro ponto importante para estabelecermos os combinados, com todas as idades, é: foco no ensino.

Não podemos esquecer que em todos os momentos estamos ensinando. Todo o tempo as crianças estão aprendendo. Em todos os momentos temos que passar informação.

Não podemos achar que a criança já sabe, que é obvio, que é fácil, não devemos achar que nada. Temos que focar no ensino, no aprendizado. Tudo que é falado para uma criança ela vai aprender. Precisamos lembrar-nos de dar instruções de acordo com o que queremos, seja para ir ao parquinho, fazer uma fila, sentar, etc.

É importante que para os combinados acontecerem você tenha um comando. Um comando é uma expressão ou frase de efeito que chame a atenção da criança. Eu uso, por exemplo, o comando “um, dois, três bumbum no chão”, quando quero que as crianças sentem-se. 

Vamos supor que combinei três coisas com as crianças para alguma atividade, é garantido que todos eles vão seguir meus comandos? Não! afinal eles estão aprendendo, e para aprender leva tempo, e precisa de repetição. No berçário você vai falar e repetir o tempo todo, pois eles não conseguem armazenar tanta informação em apenas um ano de vida.

A partir dos dois anos eles já vão começar a lembrar mais facilmente o que aprendem, e as informações que recebem.  Para as turmas maiores, de três ou quatro anos, você vai falar no começo do ano e logo eles vão pegar o jeito, e ir numa boa o resto do ano. Uma criança acaba corrigindo e lembrando a outra. E todos se ajudam.

Lembrando que o seu objetivo maior é ensinar.

Segundo ponto: clareza

Lembrando que é clareza para criança pequena.

Algo claro para você não será para a criança, pense com a cabeça dela, se coloque no lugar dela. Pergunte-se se está realmente claro o seu pedido ou instruções, se ela tem condições de saber o que estamos falando.

Se não ficar claro para a criança não vai adiantar. É preciso usar uma linguagem compatível para que a criança entenda. Quando ela não entende a comunicação é cortada e não vai para nenhum lugar.

Use palavras simples e curtas, instruções fáceis, que a criança consiga aprender e entender.

Terceiro ponto: seja objetivo.

Quando digo que devemos ser objetivos me refiro que devemos tentar resumir os comandos e instruções, de preferência em uma palavra.

 Por exemplo, quando uma criança está batendo na outra tente resumir uma longa explicação dos motivos pelo qual aquela atitude está errada pela palavra “carinho” ou “faça carinho no amigo”. Bem resumido e com foco em ensinar.

É preciso pensar que se focarmos em repetir o que não queremos que as crianças façam, não estaremos ensinando nada. Só estaremos podando e proibindo ela de fazer algo. No lugar disso diga o que quer que ela faça, assim você estará dando liberdade e dizendo o que ela pode fazer, e ela estará aprendendo algo.

Não reprima a criança, ou tente retirar o poder dela de agir. Você deve dar liberdade para ela focando no positivo. Pensando no que ela pode fazer.

Elimine a palavra NÃO dos seus combinados.

Não faça combinados onde repita o que as crianças não podem ou não devem fazer. Você não estará combinando algo com a criança, só estará restringindo e proibindo ela.

Faça combinados do que a criança pode fazer. Foco no positivo.

Quando eu falo todo o tempo “não” posso deixar a criança apática e perdida. Se eu faço uma lista de combinados com foco no positivo a criança terá o que fazer, ela saberá o que fazer.

Se eu fosse fazer um combinado com instruções do que não fazer, teria que fazer dois, um com o que pode, e outro com as proibições. E isso só funciona a partir do ensino fundamental. Dependendo da série até funcione explicar para a criança o que não pode, e qual seria a alternativa para isso. Na educação infantil isso não funciona.

Faça sentido!

Outro ponto importante é que tudo que você for combinar com a criança tem que fazer sentido para ela. É preciso que sejam coisas que a criança entenda o porquê. Quando você achar que algo não terá nenhum sentido para ela, mas você precisa de determinada coisa, tente colocar ao menos o fator surpresa.

O fator surpresa faz com que a criança se desconecte com aquilo que você não quer que ela faça, e se conecte com você e aquilo que você quer que ela faça.

Se necessário conte uma história para a criança. Isso era facilitar para ela se conectar com você e suas instruções. Não precisa ser uma historia que já exista, você pode criar algo na hora que encaixe na situação, e nos seus objetivos.

Isso é uma atitude que depende integralmente do professor. E também é algo útil no âmbito familiar, ou em algum outro espaço fora da escola.

Um professor bem preparado, com combinados bem definidos, tem mais possibilidades de manter sua turma bem organizada, inclusive os pequeninos. Obviamente que não todo o tempo, mais é possível.

Dicas importantes:

  • Como eu posso fazer, além de falar, para que meus combinados fiquem mais claros para as crianças? Colocar plaquinhas na minha sala para a criança visualizar aquilo que estamos combinando. Elas podem ser feitas do material que você quiser.
  • É importante lembrar que os combinados podem mudar. E eles vão mudar de acordo com a sua turma, com suas especificidades e necessidades. Você precisa sentir o que sua turma precisa. 
  • No berçário é preciso ter foco, colocando até quatro combinados. Quanto maior a idade maior o numero de combinados que podemos ter.
  • Mostre os combinados sempre que necessário.
  • Cuidado com beijos quando for incentivar carinho, as crianças podem acabar mordendo.
  • Você pode fazer seu combinado ser visual da maneira que quiser, não é a beleza que importa. O que faz a diferença é o foco em ensinar, a clareza, se está sendo objetivo, se foca no positivo, se consegue resumir as ações em uma única palavra, e se você conseguir através de qualquer estratégia que você queira que faça sentido para a criança.
  • E por último lembre-se que regra é diferente de combinado. Regra é algo muito rígido, não importa se faz sentido, regra você é obrigado a obedecer. O combinado é algo acordado entre todos, onde ambas as partes sabem que é importante ser cumprido, onde a criança é protagonista, e está sendo colocada para pensar, e faz muito mais sentido para ela.

Gostou das sugestões? Deixe seu comentário abaixo.

Beijo

Vivian Mazzeo

2 comentários em “Como estabelecer combinados? Educação Infantil”

Deixe um comentário